DIFÍCIL: é trabalhar com pessoas difíceis

“Faça um esforço para mudar o que está errado em você.
Agora quantos os outros não é problema seu,
deixe que eles descubram que são difíceis e decidam pela mudança”.

O trabalho e a rotina do nosso dia profissional seria muito melhor se não existissem alguns tipos que convivem conosco, que tem como objetivo tornar o nosso ambiente de trabalho insuportável e não raramente estão metidos em confusões.

Os tipos comportamentais são os mais variados. Existem aqueles que não querem se comunicar. São aqueles sujeitos fechados, de quem é difícil arrancar uma frase inteira. Costumam comunicar-se apenas por monossílabos.

Existe ainda àqueles que não querem lhe ouvir. Demonstram não estar dando a mínima atenção ao que você está dizendo. Geralmente estão muito ocupadas e não param o que estão fazendo para ouvir. Ou então são do tipo distraído, e não conseguem assimilar o que foi dito. Dizem que estas pessoas vivem no mundo da lua.

Pessoas que não sabem dizer não é problema. Não são assertivas. Dizem que podem cumprir qualquer tarefa e ao final do prazo fica provado que não tinham tempo ou competência para tal. Este tipo é bastante perigoso, pois pode causar sérios transtornos, não só para elas, mas também para seu trabalho e para toda a empresa. As gavetas destas pessoas são denominadas “chocadeiras” que estão sempre lotadas de serviço a fazer.

Tem aquelas que tentam dominar, controlar ou mostrarem-se superiores. Também são perigosas, pois são vistas por outros como “corajosas” ou “espertas” servindo de mau exemplo. São “cobras criadas”, porém na verdade são as denominadas “cobrinhas”.

No ambiente de trabalho tem as pessoas que dizem uma coisa, mas tencionam outras. Não são nem um pouco confiáveis, pois não se sabe o que esperar delas, como também não se sabe o que pretende da vida. Podemos denominar estas pessoas como “aquelas que já foram sem nunca ter sido”.

E aquelas que pensam que sabem tudo sobre tudo? São teimosas, é difícil fazê-las verem que não estão certas. E quando isso acontece, pode ter certeza que não se darão por vencidas, pois colocarão a culpa em outra pessoa. São as “donas da verdade”.

Para finalizar, tem aquelas que são as “donas da mentira”, pois diante de um questionamento inventam um argumento mentiroso. Persistem com a mentira até o final, mesmo que a verdade apareça. Acho que este tipo comportamental é de difícil solução.

Muitos outros tipos têm colecionado e você certamente irá contribuir se me enviasse por e-mail outros tipos que você conhece com a descrição do seu comportamento.

Observe-se e tenha a certeza de que você não se inclui nessa lista de pessoas difíceis. Pois não existe nada pior do que um chato querendo mostrar ao outro o quão importante ele é. A vida nos ensina de uma maneira ou de outra que não somos perfeitos, e como é muito mais fácil achar defeito nos outros, acabamos não enxergando as nossas próprias imperfeições.

Olhe para dentro de você e verifique se não existe escondido um comportamento que chateia o outro. Faça um esforço para mudar o que está errado em você. Agora, quanto à chatice de outros não é problema seu, deixe que eles descubram que são difíceis e decidam pela própria mudança.

João de Araújo é pós-graduado em RH, advogado atua na área trabalhista, diretor da Abal Gestão de Serviços Ltda.