MERCADO DE TRABALHO

MERCADO DE TRABALHO

Criar novas estratégias, alcançar metas, fazer o serviço em menor tempo e com mais qualidade e produtividade. Esforço, correria, competição… Resultados! O mercado atual é feroz. É uma competição externa e também dentro das empresas. Então é preciso parar e perceber o que realmente faz diferença para continuar empregado. Afinal, a concorrência é grande: 41,3% das pessoas que conseguiram emprego, têm carteira assinada, portanto estão ligadas a uma empresa e trabalham sob pressão da concorrência. Não adianta achar que está com a vida ganha só porque já conseguiu um emprego.

Erick, engenheiro mecânico aos 21 anos, acabou de ser contratado. E confessa: “Nos primeiros dias, você fica naquela ansiedade, quer ser político, sorrir pra todo mundo, acenar. Mas não é por aí”. Em uma semana, ele já sentiu o ambiente e arrisca algumas dicas. “Tem que ser no máximo possível assim flexível com as suas atitudes, sempre medir bem as palavras porque você está sendo avaliado constantemente”, completou o engenheiro. Ele dá algumas dicas: na primeira entrevista, é ideal saber como a empresa é, ser amigo de chefe sempre é valido, mas sem puxa-saquismo e não ficar conversando de fofoca.

“Você cai nessa armadilha. Pessoas que estão ali fofocando e você, meio sem querer, ‘eu quero me incluir’, começa a falar coisas que não devia”, disse o diretor de RH Wagner Brunini. E ele sabe bem tudo que o empregado não deve mesmo fazer. Executivo de uma empresa multinacional há 23 anos, Wagner dá conselhos valiosos. ”Até um tempo atrás, você tinha a competência técnica como um grande diferencial. Hoje, a competência técnica ela cede espaço à competência de atitude, de comportamento, de relacionamento, de como eu faço a interação com aqueles que eu vou trabalhar”.

Agora, o que vai te ajudar não só a se manter no trabalho mas a conseguir uma promoção é se atualizar. Isso não significa que as antigas profissões vão acabar. Um exemplo é a função de ferramenteiro. O Jomar de Lara Rosa trabalha há 17 anos em uma fábrica que produz peças para veículos, em Curitiba. Ele fez um curso para deixar de operar uma máquina manual de afiar ferramentas para trabalhar com uma que é controlada por computador. Nas aulas de treinamento, ele aprendeu a programar a máquina e conseguiu não só manter o emprego, mas também ser promovido. “Antes que a oportunidade apareça você deve estar preparado. Eu acho que primeiro de tudo você deve ter vontade de aprender, porque, tendo vontade, você consegue encarar todos os desafios. O mundo é muito dinâmico e você precisa estar preparado”, disse.

O empregado tem que ter consciência de que ele é o responsável pela construção da carreira dentro da empresa. Muitas empresas têm programas de treinamento e especialização. É o que acontece em uma indústria de roupas de Fortaleza, que raramente abre vagas para o mercado externo. Os funcionários são sempre promovidos através de treinamentos oferecidos. Leonardo começou como comprador de material de expediente e hoje é gerente. Para ele, o segredo para conseguir esse reconhecimento é dedicação e saber aproveitar cada oportunidade que aparecer na frente. Isso acontece também nas outras oito unidades da fábrica em todo o país.

Estratégias também são importantes. Foi traçando um plano que Aguinaldo conseguiu chegar à gerente na empresa onde trabalha há 19 anos. “Você faz um cursinho aqui, faz outro ali, ôpa, outra oportunidade, gente, estou aqui hein, não esqueçam de mim, estou me especializando”, disse. “Defina o que quer: ‘eu quero isso dentro dessa organização’, diga isso, já que é importante que a empresa saiba o que você quer que ela vai te dizer o que ela acha o que você pode ter em troca e persista. Não desista”, completou. Aguinaldo espera se aposentar em seu primeiro emprego.

Não dá pra ter a fórmula do sucesso, mas é importante mostrar que você é um profissional responsável e antenado com o que acontece à sua volta. E pode ter certeza: é isso que as empresas esperam. “Saber aproveitar as oportunidades não é algo que vem pronto. Ele deve ter a consciência de que ele é responsável por essa construção. Ele tem que ter energia pra realizar, tem que construir, saber aplicar aquilo que ele está trazendo de novo. Acho que esse é o profissional que consegue crescer, evoluir, enfim, ser promovido”, disse Márcia Fernandes, diretora de RH.

Fonte: Jornal Hoje – TV Globo