ONDE UM TERMINA: outro começa

ONDE UM TERMINA: outro começa

Esta questão é intrigante e muito atual, especialmente quando se discute a reforma da Previdência Social, existe uma grande discussão qual a idade ideal para se aposentar. No meu modo de ver, a aposentadoria é o caminho mais curto para a cova. Conheço muitas pessoas que a inatividade trouxe uma série de problemas.

Por outro lado conheço outras que começaram uma nova etapa de vida, onde começou a aposentadoria dos outros.

O primeiro caso trata-se do ex-dono da Cofap, conceituada fábrica de amortecedores, que seu presidente fundador tendo completado 80 anos resolveu “encostar as chuteiras”. Vendeu a sua empresa, embolsou 30 milhões de reais e decidiu viver sem fazer nada. No primeiro dia comprou todos os jornais para ler. No segundo dia leu todas as revistas. No terceiro dia saiu dar umas voltas e depois ficou sem ter o que fazer.

Começou novamente do zero, montou uma nova fábrica de motos, onde colocou como marca o seu próprio nome, Kasinski, como também criou uma fundação de estudos tecnológicos.

Outro caso trata-se da escritora Cora Coralina tendo apenas instrução primária e sendo doceira de profissão publicou seu primeiro livro aos 75 anos de idade. Ficou famosa quando ela tinha quase 90 anos de idade. Em entrevista disse que para ela, a sua vida começou aos 50 anos, pois nessa etapa os filhos já estavam criados e sobrava tempo para curtir a vida.

E por último temos o mais atual, trata-se do falecido recentemente o jornalista Roberto Marinho que fundou a Rede Globo de Televisão quando outros da sua idade estavam pensando no túmulo, pois tinha 60 anos de idade. Trabalhou até aos 98 anos, onde de manhã ficava no jornal O Globo e à tarde na Rede Globo de Televisão.

Estes três exemplos mostram claramente que quando alguns estão pensando em se aposentar outros estão começando uma nova e bem sucedida etapa, beneficiando e empregando milhares de pessoas.

A situação do aposentado implica numa mudança de papel social: pois mudar do trabalho para não fazer nada não é coisa simples.

Poucos são os que se preparam para essa etapa da vida. E, no entanto, ela chega para todos, mais dia, menos dia, podendo ser esperada como o fantasma da morte ou o anjo da vida.

Da minha parte este dilema já está resolvido. Vou seguir o exemplo dos três casos acima e pronto.

E você? Já pensou no assunto? Recomendo que não pare, exerça uma atividade qualquer para se manter a saúde física, psíquica, espiritual e social. Você irá se se sentir útil visto que uma das facetas negativas da aposentadoria é a sensação de inutilidade diante da sociedade.

É bom que pense sobre o assunto, pois será a oportunidade para encontrar novos amigos, entrosar-se em novos ambientes, conhecer novos recursos, assim como desenvolver certas aptidões para as quais não teve oportunidade até agora.