SOU UM “AMORZINHO”: de pessoa

“Saiba lidar com os problemas e usar o comportamento adequado para solucioná-lo,
pois o seu sucesso não é consequência de evitá-los,
mas de se saber lidar com os outros com a postura correta”

Os “bonzinhos” que me desculpem, mas na vida e no trabalho as coisas não estão inteiramente sintonizadas com comportamentos de “anjos”.

Lembro-me quando era profissional de recursos humanos vinculado a uma indústria e logo no início da minha carreira, a empresa foi surpreendida por uma greve geral. Superada esta fase, a empresa ampliou os negócios e foi solicitada novas contratações.

A orientação que me foi dada em relação aos profissionais que seriam contratados, é que teriam que ser “bonzinhos”. “Afinal passamos por uma greve e ainda existem traumas de comportamentos exaltados”, disseram os diretores.

Enchi a fábrica de funcionários “bonzinhos”. Diziam amém para tudo. Pediam licença até para ligar a máquina. Eram uns “amorezinhos” de pessoas. Mas a produção deles andava de marcha à ré, era baixíssima. Os encarregados achavam que eles estavam fazendo a operação tartaruga, no melhor estilo dos grevistas.

Percebi logo a falha e corrigi há tempo. Coloquei alguns “capetinhas” no meio dos “bonzinhos” e tudo começou a melhorar. Há um comentário que chefe “bonzinho” não serve para desempenhar a função. Não consegue liderar a equipe porque quer agradar a todos, e isto é quase impossível. O chefe, como qualquer outro profissional tem que fazer o que deve ser feito, é claro, sempre usando parâmetros da correção, ética e justiça.

Não estou afirmando que deve ser “mal”, muito pelo contrário, quero dizer que nem tudo dá certo e que muitas vezes temos que abandonar um determinado comportamento para vencer uma situação.

Não diga que pode cumprir determinada tarefa, só para ser “bonzinho” ou agradar alguém, porque ao final do prazo se ficar provado que você não tinha tempo ou competência para tal, poderá ser motivo de sérios problemas, não só para os outros, mas também para seu trabalho e para toda a empresa.

Saiba lidar com os problemas e usar o comportamento adequado para solucioná-lo, pois o seu sucesso não é consequência de evitá-los, mas de se saber lidar com os outros com a postura correta.

Aprenda com as boas e más etapas de sua vida. Todos passamos por crises e obstáculos, tenha a certeza de que, em algum momento, eles surgirão. Não existe sucesso fácil, e nesses casos deve-se lembrar do velho ditado: “nem tudo são flores”, e em muitas ocasiões terá que abandonar o seu lado “bonzinho” para com outra postura conseguir o que pretende.

João de Araújo é pós-graduado em RH, advogado e consultor trabalhista e
diretor da Abal Gestão de Serviços Ltda