DIGA COM QUEM ANDAS: que direi quem és

DIGA COM QUEM ANDAS: que direi quem és

De um modo geral ninguém pode viver isolado, aliás, uma pessoa não consegue sobreviver sozinha, ela precisa da presença e do de convívio com outros, daí os humanos ter a classificação de “ser social” . Viver em comunidade é importante e podemos perceber, enfim, que passamos a vida inteira participando de muitos grupos: família, escola, trabalho, igreja, diversão.

Quando as pessoas tomam parte nesses grupos, elas estão de certo modo, tentando organizar a sociedade, porém em contra partida esta sociedade poderá inserir influência em seu comportamento. Nossos relacionamentos são intensos e poucas vezes paramos para analisar a companhias que estão ao nosso lado, seja dentro ou fora da nossa casa ou no local de trabalho.

O provérbio “diga com quem andas, que direi quem és” é bíblico, e já ouvi muita gente afirmando que é totalmente aplicável as pessoas, muito embora haja controvérsias, pois outras opinam que é melhor conhecer as pessoas sem conceituá-las, fazendo análise sem pré julgamento por aquilo que elas são de fato não usando o parâmetro das companhias e dos relacionamentos.

Nesse sentido, uma coisa é ser visto com as pessoas, outra coisa é termos amizade com elas, e ainda outra é praticarmos o que elas praticam. E mais outra é concordar ou deixar-se influenciar por aquilo que elas fazem, seja por atos ou palavras.

Fora as polêmicas a respeito e após estas considerações temos que admitir que o ser humano está exposto as sugestões de outras pessoas, e as más companhias é um indicativo que as coisas começam a dar errado na sua vida. Já ao contrário, andando com boas pessoas certamente lhe ajudará a se dar bem. Nestas hipóteses aplica-se o provérbio título deste artigo: diga com quem andas que direi que és.

Passando da vida rotineira ao local de trabalho ocorre o mesmo fenômeno. As pessoas que compartilham nosso espaço independentemente da nossa vontade acabam nos influenciando de alguma forma a nossa personalidade e por que não dizer o nosso próprio comportamento profissional.

No ambiente de trabalho existe uma troca maior de informações, propiciando que as pessoas que convivem fisicamente conosco imprimam suas idéias, suas decepções, sentimentos e energias. É comuns as pessoas mesmo não acreditando em energias que emanam das pessoas, serem afetados pela exposição diária de negativismo ou otimismo, pelo poder da sugestão, a qual atua psicologicamente em todos nós.

Nesse sentido pode-se dizer que se você trabalha com bons profissionais irá aprender as suas boas técnicas de gestão e que se bem aplicadas certamente muito lhe ajudará a subir os degraus da carreira no competitivo mercado de trabalho.

Não vamos confundir que o fato de andar com as pessoas por amor a elas, ou por um dever de profissão irá determinar a influência, mas compactuando com seus atos negativos e pecados, ou atos positivos e virtudes, será equiparado a elas. O mundo está aí para ser influenciado e transformado por nós, andando com boas pessoas estará sendo estimulando a se influenciar e seguir os seus bons exemplos.

Todos nós temos algumas derrotas e elas servem como aprendizado, agora você precisa aprender com os vitoriosos para depois sendo um deles poder ajudar alguém que realmente precise de apoio.

Uma das grandes vantagens que qualquer pessoa deve almejar é a oportunidade de conviver e dividir, seja na vida ou no trabalho com boas pessoas. Analise as suas atitudes e comportamentos ao mesmo tempo em que deve perceber o que quer delas, o tipo de influência que recebe e como deve melhor aplicá-las. Portanto sinta-se recompensado por tantas coisas que você aprendeu e compartilhou com os outros, podendo destacá-la alguma coisa boa para acrescentar em sua vida.