JORNADA DE TRABALHO: do desempregado

JORNADA DE TRABALHO: do desempregado

Certamente você deve estar questionando, como um desempregado pode ter uma jornada de trabalho? Afinal desempregado não trabalha. Antes de tudo, quero esclarecer que no meu modo de pensar, não existem desempregados, os que existem são pessoas disponíveis para um trabalho. Em assim sendo, estando você disponível, que tal encarar o trabalho de procurar um emprego?

E já que a procura por um emprego é seu novo trabalho, é lógico que deve estipular uma jornada, que no mínimo deverá ser de 44 horas semanais, com direito a um intervalo para as refeições e descansos nos domingos e feriados. Poderá até folgar nos sábados, porém terá que compensá-lo durante a semana.

Poderá ainda fazer algumas horas extras. Sabe como é, existe a concorrência entre os disponíveis, sendo que os mais persistentes acabarão encontrando o melhor emprego.

Infelizmente não é dessa forma que ocorre. Os desempregados insistem em permanecer como tal, pois gastam pouco tempo na procura do emprego, em média menos de 14 horas por semana, segundo uma pesquisa publicada no Jornal Cruzeiro do Sul, dia 09 de março passado. Limitam-se a percorrer algumas agências de emprego na segunda feira, e o resto da semana ficam aguardando os chamados.

A conquista de uma boa vaga no mercado do trabalho exige dos interessados um trabalho constante, que vai desde o investimento na preparação, no tempo de procura e também na qualificação. Este empenho deve bem maior, do que se o trabalhador já estivesse trabalhando.

Notem ainda que o investimento na sua carreira começa bem antes de arrumar o emprego. Se não começar os estudos bem cedo, terá problemas na hora que precisar de uma oportunidade de trabalho. Nesta hipótese pouco adianta procurar estudos durante o período de desemprego, pois seu efeito não é imediato.

Existem ainda os desanimados. São aqueles que ao perderem um emprego, primeiro recebem o seguro desemprego, depois sobrevivem do que restou das indenizações da despedida, e já acostumados com a situação de “sem trabalho”, permanecem aumentando as estatísticas dos desempregados.

Podem ainda estar questionando: em quanto ganho neste trabalho de procurar trabalho? Posso lhe dizer que nem tudo que se ganha pode ser medido em pagamento imediato. Um empreendedor por exemplo, investe em seu negócio próprio durante 2 a 5 anos, para após ter um algum ganho. Neste caso denomina-se esse período com sendo um investimento. No seu caso também se aplica a mesma regra.

A procura por trabalho começa no ato do anúncio da sua despedida. Quanto mais cedo você começar a procura por trabalho, maior vantagem você terá.

Por fim, a sua jornada para procurar uma colocação no mercado de trabalho nunca deverá ser inferior se estivesse trabalhando. O recado está dado, agora é ir a luta e voltar ao final da jornada com um excelente emprego.