Sou meu próprio patrão

Hora pra chegar, tempo regulado pro cafezinho, chefe que pega no pé,  em  troca, no fim do mês, salário na conta corrente.

Quem trabalha pra uma empresa sabe muito bem do que estou falando. Mas quem dessas pessoas nunca sonhou em ter seu próprio negócio?

No Brasil, muitas não só já pensaram nisso como realizaram seus sonhos.

Três razões levam o empregado a virar empregador: vontade de ser seu próprio patrão, necessidade – é a falta de opção – e oportunidade – quando se encontra uma brecha no mercado.

A pessoa hoje antes de investir em qualquer segmento tem que fazer muito estudo, acompanhar o mercado. Vale a pena, claro, todo mercado vale, desde a barraquinha de pipoca até uma grande indústria. Todas elas têm mercado, pra tudo, depende do que você quer.

Enxergar uma oportunidade é ótimo. Mas com o aumento do desemprego nos últimos anos, abrir o próprio negócio também virou uma questão de necessidade. Por isso, é importante ficar atento para o que pode estar à sua frente.

Quem trabalha em empresa geralmente acha que quando abrir um negócio vai trabalhar menos.

É ilusão total.

Quem quer se aventurar no negócio próprio, é bom sabe que com certeza vai trabalhar muito mais do que se eu fosse empregado de qualquer empresa. Tem que correr atrás, tem que estar a frente da equipe, mais motivado que à equipe, chegar antes, sair depois.

O que é importante é estar reciclando sempre. Estudar sempre, ter sempre bons contatos, bons amigos, bons relacionamentos e estar antenado com  a realidade do mercado.

Se você se animou e está pensando em dar uma virada na sua vida, aí vão 3 dicas.

  1. – não se afobe, levante informações sobre o negócio que você quer abrir.
  2. – defina metas, faça um planejamento de tudo que você precisa e de quanto vai gastar.
  3. – faça cursos para aprender a lidar com fluxo de caixa, custos e preços 

A internet pode ser uma boa fonte pra tirar suas dúvidas. O Sebrae também tem muitos cursos sobre como gerir uma empresa. Tocar o próprio negócio hoje em dia não é um bicho-de-sete-cabeças, o mais importante é se preparar. Se esse sempre foi o seu sonho, mãos à obra e boa sorte!

João de Araujo é pós graduado em RH, advogado e consultor trabalhista e diretor da Abal Gestão de Serviços Ltda.