PROFISSÃO: acampado

PROFISSÃO: acampado

Neste atual governo aumentaram as invasões de terra pelo movimento denominado MST. Os invasores são desempregados recrutados nas periferias, que coordenados por líderes do próprio movimento prometem um pedaço de terra desde que permaneçam acampados até a cessão da terra invadida.

Nesse sentido tomei emprestado do movimento sem terra, o título deste artigo como sendo profissão acampado.
Pela análise trata-se realmente de um movimento profissional, recrutando e formando militantes em todo país. Os acampados são organizados e lutam pela Reforma Agrária com o objetivo de transformar a sociedade. Muito embora esta profissão não conste na classificação brasileira de ocupações, porém existe de fato e está em plena atividade. Tem estrutura própria, tem chefe produz resultados e aparece na mídia mais que qualquer outra profissão.

Se certo ou errado, é uma questão para outra discussão, porém não podemos negar que esta profissão não é moleza exercê-la.Fora à promessa de receber um pedaço de terra e se tornar um assentado, não recebem mais nada. Acampam em condições precárias nos barracos de lona, sem banheiro, sem água e sem infra-estrutura além de receberem alimentação racionada.
Os acampados trazem crianças que sem nenhuma interferência dos órgãos que deveriam olhar por estes menores colocados em condições precárias, ali permanecem à espera de coisa incerta. O atual governo até então simpatizante do movimento, usa o discurso de tudo está sob controle e não será tolerada desobediência da lei.

Bem que esse pessoal poderia gastar suas energias em coisas mais produtivas e legalizadas. A pergunta inevitável é: será que esse pessoal se sujeitaria ficar acampado nas mesmas condições para em vez de terra conseguir resultados em outras áreas carentes?

Nesse sentido, e somente para efeito de imaginação, que tal exercerem a sua função de acampado em frente ao Palácio do Planalto e exigir os 10 milhões de empregos prometidos em campanha do atual governo. Ou acampar em frente aos órgãos responsáveis pela saúde, educação e segurança e exigir o cumprimento da obrigação do Estado nesses itens.

Não é somente os órgãos do executivo que merecem ter acampados, o Judiciário também merece os esses profissionais do acampamento em sua frente. O congresso Nacional, Câmaras Estaduais e Municipais também tem carência de ver esses profissionais atuando a sua frente e exigindo melhorias.

Saindo da esfera das hipóteses imaginárias, e para ficar no segmento de atuação dos acampados, o que podem esperar do futuro essas pessoas que sem nenhuma experiência com o trabalho rural, aderem ao movimento, o que automaticamente insere em seu curriculum como sendo um invasor de terras alheias. Que depredou a patrimônio de terceiros. Que usou a ilegalidade para conseguir algo. E mesmo que consigam seu intento, não tem experiência em lidar com a terra e poucos permanecem no seu objetivo.

A profissão acampado é uma atividade que embora estando hoje em moda, não deve ser o sonho de nenhum cidadão, o que vale dizer que representa apenas a transferência da miserabilidade da área urbana para o campo.