RESOLVI VOLTAR ÁS MINHAS ORIGENS

Para quem gosta do ontem, museu é um bom lugar. Ontem é apenas uma recordação, um lugar que você passou e não irá mais retornar. Quero dizer que você vive no hoje. A única vantagem do ontem, é que eu era mais novo de idade, nada mais.

Repito sempre que o passado não me vincula, ou melhor o passado não me favorece. Digo mais: vivo no hoje.

Explico melhor esta questão, porque agora sou obrigado a retornar às minhas origens, para dizer o que vivi e o que penso.

Lembro-me quando tinha 8 anos, tínhamos 4 cachorros. Hoje tenho apenas uma e de tão pequenina vale meia.

Próximo da minha casa tinha um rio caudaloso e quantas vezes lá nadei. Meu pai trabalhava na divisa de uma represa e lá era água sem fim. Hoje tenho apenas uma piscina que mede 4 por 6 metros.

Lembro que na minha casa não tinha iluminação elétrica, então a noite podíamos apreciar as estrelas e a lua. Hoje à noite em todo canto apenas vejo lâmpadas.

Na minha casa o limite era o horizonte, as portas ficavam abertas sem trancas, protegidos pelas amizades dos vizinhos. Hoje na minha casa o limite são muros, cheia de alarmes e estou rodeado de vizinhos que mal me olham.

Minha mãe sempre cozinhou para a família toda, lembro-me da saborosa comida do fogão de lenha. Hoje eu compro comida e uso micro-ondas.

Minha conexão era com a vida, com a natureza e a família. Hoje vivemos conectados ao celular, ao computador e à televisão.

Isso é minha lembrança do passado, que me causa confusão: chego a pensar que fui muito rico, pois naquela época existia a preocupação com o ser, e hoje com o ter.

Para finalizar conta esta estória:

Resolvi voltar ao passado.
Voltei ao lugar das minhas origens. As pessoas não me reconheceram,
mas conheciam os meus pais e lembraram do meu nome.
Uma pessoa do lugar se aproximou e disse-me: “sei que agora é doutor,
gostaria de saber sobre sua vida, seu passado”.
Comecei a contar mas tive que parar, porque essa pessoa estava de charrete,
e o burro que a puxava começou a chorar…