SOU DEVOTO: do “Santo Eu”

“Crie um Santo só para você, que neste caso terá que ser o “Santo Você”,
no meu caso criei o “Santo Eu”.
Como primeiro milagre escolha o de ser feliz,
depois pense na realização de outros sonhos”.

Religião e política não se discutem. Por isso o meu tema desta semana, muito embora pareça, nada tem a ver com qualquer desses assuntos. Ocorre que dia 16 de outubro comemorou-se o dia da Santa Edwiges, a “Santa dos Endividados”. No jornal li uma reportagem onde apareceu uma multidão de devotos seguidores, dando depoimentos que tinham resolvido suas dívidas graças ao milagre da Santa dos Endividados.

Tenho o maior respeito pelos Santos. Os meus pais tiveram 8 filhos, e todos têm nomes de Santos. Minha devota mãe, montou um oratório com os Santos que coincidiam com os nomes de cada um deles: Santo Antonio, São João, São Pedro, etc.,. Convivi durante muito tempo com esses Santos e me lembro que um dos irmãos, vivia às turras com São Benedito, por achar que era muito diferente dele. Então não cabe aqui duvidar de quem quer que seja. Se a pessoa acredita e diz que o Santo realizou um milagre que zerou as suas dívidas não me cabe duvidar, afinal milagres acontecem.

Ainda existe o “Santo dos Desempregados”. Não tenho notícias de ter ocorrido muitos milagres nesta área de empregos. Seria uma maravilha a multidão de devotos recebendo o milagre de ter um emprego na mão. Nestes tempos achar um emprego só por milagre mesmo. Devo alertá-los que se alguém receber esta graça, não pode reclamar se o emprego não lhe for o que esperava. Muito menos reclamar do salário oferecido. Afinal não se escolhe uma graça a receber. Da minha parte estou aguardando ansiosamente os milhões de empregos que o “São Lula” vai nos dar. Como tenho atuação profissional em Agência de Empregos já estou fazendo os cálculos da distribuição dos preciosos empregos.

Por falar em milagres, que tal você também escolher ser devoto de um Santo. Só que nesta hipótese é melhor não sobrecarregar os Santos já existentes.

Crie um Santo só para você, que neste caso terá que ser o “Santo Você”, no meu caso criei o “Santo Eu.

Não precisa morrer e nem dependerá que alguém tome a iniciativa de transformá-lo em Ser Sagrado. Você por conta própria se transformará em “Santo” e pronto. Daí é só ir à luta para realizar os seus milagres.”

O “Santo Eu”, não atenderá a multidão de devotos, somente cuidará de um único devoto que é você mesmo, o que tornará mais fácil as realizações. Como primeiro milagre escolha o de ser feliz, depois pense na realização de outros sonhos.

Pense que para conseguir estas realizações milagrosas você precisa esforçar-se. Afinal as realizações de “Santos” não funcionam ao estalar dos dedos.

Além do mais você terá pela frente as oposições, pois não é todo mundo que acredita em Santo.

Tenha fé que você vai conseguir, pois os milagres só funcionam para quem tem fé. Vale a pena tentar. Se não der certo, volte a ser você, porém a experiência de ter sido o “Santo Eu”, servirá para entender que muito embora não seja nenhum “Santo”, terá que realizar milagres todos os dias para ver os seus sonhos realizados.

João de Araújo é pós-graduado em RH, advogado e consultor trabalhista e diretor da Abal Gestão de Serviços Ltda