PROFISSÃO: qual é a melhor no futuro?

“A profissão do futuro
já está disponível nos dias de hoje,
pois é qualquer uma desde que
exercida com inovação”

Muitos pais me procuram em busca de orientação para seus filhos que se encontram na idade de iniciar uma carreira profissional. Argumentam suas preocupações com as perspectivas do fim do emprego tradicional, e das dificuldades que seus filhos encontram para escolha de uma profissão.

Em face destas dificuldades ainda questionam qual a melhor profissão que seus filhos devem seguir, tendo em vista as incertezas no mercado de trabalho e a falta de um modelo para a modernização das relações de trabalho em sintonia com o mundo globalizado em que vivemos.

Convivo há tempos com estas indagações e sem analisar as qualificações individuais desses jovens, respondo de forma simplista que a melhor profissão no futuro é qualquer uma. Pode ser a profissão do advogado, do médico, do administrador, do autônomo ou qualquer outra. A título de exemplo, e só para citar algumas profissões não habituais, conheço pessoas que vivem dignamente e muito bem como confeiteira, fazendo bolo em casa, camelô, barbeiro, etc.

A profissão de médico é antiga, porém hoje se modernizou e muitos exercem como uma atividade comercial, esquecendo-se que existem valores humanos que se forem bem observados tornará uma profissão que lhe renderá satisfação, sucesso com excelente retorno financeiro. Aliás, esta profissão muito embora marquem as consultas ainda não conseguem cumprir o horário marcado, como também não tomam a iniciativa de acompanhar seus pacientes após o atendimento.

O que ocorre nas profissões bem sucedidas não é o nome da profissão em si, ou a área escolhida, mas a maneira de como ela é exercida. Uma característica que posso adiantar que faz diferença é o trabalho exercido com inovação.

Hoje e no futuro essa exigência é fundamental no mercado de trabalho, pois mais do que se apropriar do conhecimento disponível é necessário colocar-se na frente dele e participar de sua renovação interminável.

Portanto inovação é a palavra chave para sobrevivência e sucesso na profissão, sendo que neste momento e no futuro, o profissional deve enxergar a si mesmo como um produto diferente e digno de elogios pela sua forma de atuação.

A grande maioria dos profissionais com quem tenho conversado estão confusos. Alguns resistem a acreditar que tudo mudou. Boa parte entenderam que algo está mudando e felizmente estão procurando ajustar-se à nova ordem. Aquela forma antiga de fazer as coisas é assunto superado. Até a procura por um emprego mudou. Antes preenchia a mão uma ficha de emprego na empresa próxima da sua casa, depois veio curriculum vitae que se faz em casa e envia para várias empresas e locais diferentes, e hoje se cadastra pela Internet e pode ser acessado pelo mundo todo.

A profissão do futuro já está disponível nos dias de hoje, pois é qualquer uma desde que exercida com inovação por qualquer pessoa, que cumpra o seu dever e tenha iniciativa. Que não espere as ocasiões, mas que crie, inove e faça acontecer. Que ao chegar ao trabalho desperte uma ótima impressão e ao exercê-lo não deixe as coisas no meio. Que transforme para melhor tudo o que passar em suas mãos. Enfim um profissional que aperfeiçoe tudo que puder, e melhore ainda mais aquilo que já estiver feito.

João de Araújo é pós-graduado em RH, advogado e consultor trabalhista e diretor da Abal Gestão de Serviços Ltda